DIRECTOR: BRUNO HORTA  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

31 de maio 2023

(…) ao deixar de ser acionista e administrador deste jornal, resta-me agradecer a confiança de todos quantos, sem exceção, acreditaram neste projeto e que, em Dezembro de 2020, responderam ao desafio que lhes dirigi.

3 de maio 2023

Confesso que, tendo sido jornalista até finais do século passado, nunca me passou pela cabeça voltar a meter-me nestas vidas. Fi-lo agora, desde há dois anos e picos, envolvendo-me, enquanto acionista e gestor, no projeto de ressurgimento de um título onde, no início dos anos 80, tive a sorte de me iniciar nas lides do jornalismo. Só mesmo o Tal&Qual me faria voltar a este mundo…

1 de março 2023

Vivemos num país extraordinário. Um país onde existe quem goste de se substituir às polícias, aos juízes, e até mesmo, pasme-se, sabe-se lá se até a Deus. Um país onde os bancos, ao abrigo de um tal ‘compliance’, uma ‘moda’ que serve para saciar a sede de inveja de alguns, se acham no direito de classificar e rotular a origem de dinheiro que é transferido para a conta de qualquer cliente, sem que para isso se perceba com base em que critério;

15 de fevereiro 2023

Por puro tacticismo político, António Costa tem usado André Ventura como o seu ‘seguro de vida’. Ao dar-lhe palco, e muitas vezes elegê-lo como seu principal adversário nos debates parlamentares, ao introduzir habilmente na agenda da direita o ‘fantasma’ do Chega!…

25 de janeiro 2023

O dr. Moedas, essa espécie de matraquilho falante, dana-se por aparecer – é algo que lhe está no sangue, aquilo é mais forte do que ele. E então, se por perto houver uma câmara, ou mesmo um simples holofote, é certo e sabido que o pequeno e insaciável edil logo se porá em bicos de pés, debitando os habituais lugares-comuns, quase sempre rematados com uma daquelas frase-efeito, o tal ‘soundbyte’, que alguém diligente e oportunamente lhe soprou antes ao ouvido.

2 de novembro 2022

Gouveia e Melo é visivelmente uma daquelas pessoas que se tem, a si próprio, em grande conta – algo, aliás, em que o nosso país é pródigo, tais os figurões que, por uma razão ou outra, se julgam insubstituíveis. O almirante, antes de camuflado, agora, desde que é ‘patrão’ da Armada, já mais pomposa e alvamente fardado, desdobra-se em entrevistas, declarações, “ons”, “offs”, conferências de imprensa e sei lá mais o quê.

19 de outubro 2022

Cada vez que abre a boca, o inenarrável bispo do Porto envergonha a Igreja e todos quantos dentro dela, a começar pelo Papa Francisco, merecem o respeito, e em muitos casos a admiração, mesmo dos que, como eu, não sendo crentes, reconhecemos o papel decisivo que a Igreja muitas vezes desempenhou.

14 de setembro 2022

Não foi o facto de o Presidente da República ter participado na verdadeira ‘palhaçada’ que foi o comício organizado a pretexto das comemorações do 200º aniversário da independência do Brasil, que verdadeiramente me incomodou. O que sim deveras me aborreceu foi a forma ingénua, quase infantil, como Marcelo Rebelo de Sousa, pessoa que estimo, e por quem sempre nutri admiração intelectual, independentemente de ser, ou não, chefe de Estado, caiu numa previsível e manhosa ‘armadilha’ que, em jeito de vingança, Jair Bolsonaro lhe estendeu no passado dia 7 de Setembro.

24 de agosto 2022

Em Abril de há 50 anos, assinalavam-se então os 150 anos da independência do Brasil, desembarcou com pompa e circunstância na baía de Guanabara uma luzidia e vasta comitiva oficial portuguesa, chefiada pelo almirante Américo de Deus Rodrigues Thomaz, e onde, além das inevitáveis Gertrudes e Natália, mulher e filha da referida personagem, não faltavam ministros, generais, contra-almirantes e um sem-fim de diplomatas.