DIRECTOR: JORGE LEMOS PEIXOTO  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

Bem-haja ao vosso jornal pela revelação (edição de 30.11.22) da verdadeira actuação totalmente incompetente e manhosa do ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, na ‘débâcle’ do BES, que teve a conivência do poder político da altura (governo Passos/Portas). O próprio Presidente (Cavaco Silva, ‘emérito’ economista) proferiu afirmações públicas, assegurando a solvabilidade daquele banco, sem qualquer consistência técnica, das quais se veio a justificar cobardemente, escudando-se no referido governador.

O sr. Carlos Costa contribuiu para a pesada herança de prejuízos sofridos por muitos milhares de cidadãos clientes do BES e não tem qualquer autoridade moral para criticar o governo posterior e muito menos o dr. Mário Centeno (ex-ministro das Finanças e actual governador do BdP) pelas acções empreendidas, visando recuperar a credibilidade do sistema bancário português.