DIRECTOR: JORGE LEMOS PEIXOTO  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

O futebol profissional comporta-se como um ‘Estado’, no nosso Estado. Pisam-se linhas vermelhas em roda livre e a conivência política é um dado adquirido. A postura criminosa numa academia de jovens jogadores de futebol, a Bsports, revela falta de civismo, ausência de cultura desportiva, discriminação violenta, para com jogadores novos, que acalentavam o sonho de poderem singrar. Registe-se que o dirigente máximo daquela instituição era o presidente da assembleia geral da Liga de Clubes de Futebol, agora demissionário. Esta e a Federação de Futebol demoraram muito tempo a reagir a esta situação, que nos vexa por esse Mundo fora… O silêncio foi ensurdecedor, por falta de interesse, omissão e falta de coragem em abordar este imperdoável caso. O Estado peca por insuficiência e mando assertivo.

Não pode nem deve valer tudo!

Estamos a falar de jovens, de direitos humanos, do direito à infância e à sua formação global, que foram desrespeitados e cilindrados. O presidente da Bsports foi constituído arguido por tráfico de seres humanos… Arguidos, há muitos. E condenados? Nem ouvimos nem vemos nem os lemos!