DIRECTOR: JORGE MORAIS  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

Apesar da Câmara de Lisboa contar com mais de 230 juristas nos seus quadros, Carlos Moedas resolveu ir contratar, por ajuste direto, um escritório de advogados para elaborar o regulamento que tem como objetivo pôr cobro à balbúrdia que as trotinetes e as bicicletas trouxeram à capital. Só que não arranjou melhores advogados para isso que os que tem no seu portfolio de clientes a Link, umas das principais empresas do setor da chamada mobilidade suave... Mas o Tal&Qual desta semana revela-lhe também as agressões selváticas sofridas pelo professor português que denunciou os abusos sexuais ocorridos numa escola moçambicana ligada a uma congregação religiosa dirigida por D. José Ornelas, hoje bispo de Fátima e presidente da Conferência Episcopal, e à época responsável máximo dos dehonianos. Leia igualmente a entrevista do ex-ministro socialista João Cravinho, que a propósito do processo da localização do no aeroporto, não hesita em afirmar: “Não podemos estar nas mãos da Vinci”. Mas nesta edição, conheça o estranho silêncio que se abateu nos últimos tempos sobre o célebre caso das obras ilegais na casa da antiga eurodeputada Ana Gomes na Serra de Sintra, e leia a reportagem sobre a descaraterização que o turismo está a causar nas cidades de Lisboa e do Porto, Não perca!