DIRECTOR: JORGE LEMOS PEIXOTO  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

Certas pessoas, incluindo basicamente os pressurosos políticos, levantaram um furor recriminatório e um escarcéu desnecessários pelo facto de o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, numa facécia inofensiva, espirituosa e elegante ter comentado (ou apreciado?) um decote que uma bonita jovem exibia estando acompanhada de sua mãe, não perdendo, o Presidente, ainda o ensejo de afirmar que a dita jovem era mais bonita do que a mãe. Logo se levantaram vozes esfaimadas a falar de sexismo e de outras palermices. Uma dessas vozes foi a inefável Isabel Moreira, acolitada por Susana Peralta, a proficiente e esclarecida professora de Economia – o que, de alguma maneira, me surpreendeu. É certo que Isabel Moreira não possui a ‘sagesse’, a postura sensata e discreta do seu falecido pai, o saudoso senador Prof. Adriano Moreira que, ao tempo, foi ministro de Salazar e conseguiu, ainda, tornar-se democrata no pós-25 de Abril. Ora, Isabel Moreira quer, direi a senhora deputada exige, que o Presidente Marcelo peça desculpa pela ‘blague’. Era só o que faltava! Ao que nós chegamos e ao que chegaremos com esses impositivos e caprichosos movimentos feministas. O Prof. Marcelo não foi indelicado nem afrontou ninguém. Não tem que pedir desculpa. Tenham juízo! Qualquer dia até mandam calar o Quim Barreiros porque é sexista. Ou desaparece o galanteio masculino dirigido ao sexo feminino. Também é sexista. Tudo é sexismo.