DIRECTOR: JORGE LEMOS PEIXOTO  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

Vivemos num País onde três princípios norteiam o nosso quotidiano, no que concerne à intervenção social na comunidade em que estamos inseridos:

– Os que nada fazem, apenas criticam levianamente a realidade virtual em que vivem, procurando enaltecer-se e descarregar as frustrações pessoais, políticas e sociais e, muitas vezes, obter dividendos dessa estratégia maléfica;

– Os que dizem que fazem e que não fazem, numa tentativa, pensada e calculada, de enganar o próximo com o objetivo de reforçar a afirmação social, política e a necessidade de estar na ribalta. Quase sempre a sua (in)conduta é temporalmente desmontada, pois, como diria Abraham Lincoln: “Pode-se enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não se consegue enganar todas por todo o tempo.”

– Os que fazem, são os obreiros indispensáveis para a evolução das comunidades, os artífices do crescimento e desenvolvimento. São injustiçados pelos invejosos e incapazes e por uma opinião pública formatada e crítica, muitas vezes com o apoio de uma comunicação social tendenciosa.

É o Portugal que temos!