DIRECTOR: JORGE LEMOS PEIXOTO  |  FUNDADOR: JOAQUIM LETRIA

Desde o passado dia 2 de Junho já ouvi dezenas de debates sobre a substituição da série ‘E’ pela série ‘F’ dos certificados de aforro daí resultando uma perda para os aforradores. Nesses debates, há quem defenda que foi uma cedência às imposições da banca que se queixava que os depositantes lhe estavam a esvaziar os cofres. Pela parte dos comentadores afectos ao Governo, que não era por tal motivo, mas pelo simples facto de Portugal poder financiar-se no BCE pagando menos. Exemplificando, que pagavam lá fora 3% enquanto internamente pagavam 3,5%. Ora isto é uma tremenda mentira já que o Estado não pagava ao aforrador 3,5%, mas apenas 2,52%, já que lhe retém para o IRS uma taxa liberatória de 28%. Assim sendo, os portugueses estão a pagar 0,48% a mais ao estrangeiro. Se isto não é uma subserviência à banca, o que será?